Você se vê pulando de tarefa em tarefa? No final do seu dia, vem aquele desconforto de ter começado várias coisas e ter concluído apenas algumas?

Há um termo japonês, “ichigyo-zammai”, que basicamente significa “concentração total em um único ato”. Sunryu Suzuki descreveu esta prática em seu livro, “Zen Mind, Beginner’s Mind”, e chamou de “atividade iluminada” o ato de estar plenamente envolvido com uma tarefa.

Isso quer dizer que quando não estamos presentes, nossa natureza não se expressa por completo. A partir do momento que nos concentramos, começamos a expressar nosso verdadeiro eu.

Pesquisadores já comprovaram que não existe multitarefas. Esse comportamento, comum no multitasking, estilo dos que desempenham várias tarefas ao mesmo tempo, começa aos poucos a ceder espaço a um estilo oposto: o monotasking. Ou seja: concentrar em uma coisa de cada vez com a intenção de fazer tudo bem feito, de preferência passando algum tempo longe das distrações da internet.

Em uma matéria na Revista Galileu, foi concluído que “Tudo que é escasso se torna valioso. A nova escassez é ter tempo para pensar e se concentrar”, afirma Henry Manson, chefe de pesquisa da agência de tendências de consumo Trendwatching, uma das maiores do mundo. “Vivemos uma aceleração do tempo: tudo tem que ser rápido, imediato. Mas não se pode ter inovação sem períodos de reflexão e preguiça”, diz a filósofa Olgária Matos, professora da USP. 

Comprovações científicas

É fundamental entendermos como funciona nosso cérebro para usá-lo corretamente. Muitas vezes nós nos atrapalhamos, simplesmente porque estamos querendo usar o cérebro de um jeito que não funciona. 

Uma pesquisa revelou que só conseguimos preservar, sem degradar a memória, um único pedaço de informação. 

Já outra, relatada pelo site “O Segredo”, mostrou que quando ficamos pulando de uma tarefa para outra, nossa capacidade de processamento cai horrivelmente. Na pesquisa, concluíram que o nível de uma pessoa com mestrado MBA cai igualando-se ao de uma criança de 8 anos!

Estudos mostram que se tentarmos fazer duas tarefas ao mesmo tempo, o rendimento desaparece. Isso porque leva um tempo para seu “palco” ser montado novamente. Para tirar atores de uma peça e convidar os outros de volta. Essa perda de tempo é zero produtividade. É tempo perdido. Isso gera frustração.

Fazer uma coisa por vez

1- Faça tarefas em sequência

Se organize de forma que uma atividade tenha sequência com a outra. Coloque toda sua atenção nela e não desfoque.

2- Se comprometa com o seu momento.

Se permita ter uma consciência mais clara, planejando suas atividades de cada dia, colocando em ordem de prioridade.

3- Saiba usar a sua energia

Comece pelas tarefas que exigem mais da sua mente e as faça pela manhã. Evite tomar decisões após às 17h, neste momento você não é a mesma que às 8h daquele mesmo dia. Ter consciência disso, facilita o seu caminho para fazer uma coisa de cada vez.

Faça suas atividades com propósito, nos diversos papéis que você desempenha na sua vida. Quando você tem clareza e sabe o porquê daquela tarefa, a importância que ela tem para o seu dia, você a faz usando toda sua concentração e vai chegar ao final do dia com a sensação de dever cumprido!