fbpx

Sempre fui apaixonada pelas palavras e por escrever. Desde cedo, eu adorava as aulas de redação e português, confesso que eram as quais eu mais prestava atenção e me dedicava.

Tive ótimos professores e uma dentro de casa, que sentava ao meu lado, mostrava a forma correta de escrever determinada palavra, que corrigia o que eu falava erroneamente, uma mulher de fibra que me motiva todos os dias no meu caminho empreendedor: minha mãe.

Uma história escrita

Eu não conhecia a Ana Holanda, mas há dois meses, várias pessoas começaram a falar dela para mim, e vi muitas coisas sendo compartilhadas sobre os livros e cursos dela na internet. O livro Como se encontrar na escrita foi o qual mais me chamou atenção.

Universo é tudo, uma coisa atrai a outra.

Formada em jornalismo, assim como eu, ela se encontrou como uma ‘contadora de histórias’ e me chamou a atenção, quando eu li os seus conteúdos sobre o amor que existe dentro de cada palavra.

Pronto, deu match!

Escrita Afetuosa

Em seu livro ‘Como se encontrar na escrita’, que eu já iniciei a leitura e super recomendo, ela explana a ideia da própria escrita ganhar vida e alma, independente do tema que é abordado. Achei magnífico isso, pois muitas empreendedoras falam para mim:  “não consigo escrever, não consigo ser autêntica nos meus conteúdos”.

Está aí a explicação, consegue sim, desde que você use a escrita a seu favor, fale sobre a sua verdade e escreva com coragem.

Por que ler sobre escrita?

Ana apresenta esta forma de escrita que, na realidade, tem menos relação com a escrita e mais com a percepção sensível do mundo, com a atenção aos detalhes e ao quanto eles importam para o todo. Mas, sim, para todos os efeitos, também é um livro sobre escrita. Apenas não é uma obra convencional sobre o assunto.

Longe de querer ditar regras ou se basear em truques, o objetivo aqui é fazer com que cada um encontre a própria voz, identifique a melhor forma de colocá-la no papel e, por fim, perca o medo de compartilhar o resultado.

Que tal se desafiar a contar suas histórias no seu negócio?

“A ESCRITA LHE PERTENCE PORQUE ELA NUNCA DEIXOU DE LHE HABITAR. ÀS VEZES, SÓ A COLOCAMOS NUMA PRATELEIRA ALTA DEMAIS, NUMA CAIXA GUARDADA NO FUNDO DO ARMÁRIO. POR ISSO, ELA É UM REENCONTRO, COM VOCÊ MESMO, COM A VIDA”.

Ana Holanda