fbpx

Comunicação: termo latino “communicare”, que significa partilhar, participar de algo, por tornar comum. Comunicar é se relacionar; é poder se aproximar; compartilhar conhecimento; dividir problemas; ser solidários; alertar; questionar; criar vincular e abrir caminhos para outros universos com outras pessoas.

Uma comunicação de qualidade precisa ser valorizada, é buscar recursos e ferramentas que te ajudem a melhorar essa habilidade, é saber se expressar sem deixar ruídos pelo caminho.

Segundo Marcelo Egéa, Psicólogo e Diretor da Ser Total (uma consultoria com foco no desenvolvimento de liderança, gestão, vendas e eficácia pessoal), quando nos comunicamos estamos compartilhando nosso mundo, tentando dar ordem no que nos rodeia, para que possamos viver e operar no mesmo espaço com outras pessoas. A comunicação não é feita somente de fatos, mas também (e principalmente) de percepção e expressão de emoções, crenças e valores. 

Ao contrário do que possa parecer, isso não torna nosso mundo uma Babel: ao trocarmos, somos capazes de conhecer novas formas de operar e interpretar os eventos, nos permitindo inovar e evoluir. 

Por isso, neste mundo globalizado e cada vez mais digital, a comunicação tem um grande valor e se torna um diferencial para aquelas que sabem usá -la a seu favor. Como empreendedoras, precisamos treinar a comunicação, de forma que possamos demonstrar, através dela, nossos objetivos, falando de forma clara e direta quais são nossos diferenciais e nossos valores com o nosso negócio. O que nos torna melhores que outras pessoas no mesmo mercado.

Papéis desempenhados e a comunicação

A maneira como nós mesmas nos enxergamos, afeta bastante a nossa comunicação. A busca para melhorar essa habilidade começa através do conhecimento do seu próprio ‘eu’.

Nós nos percebemos por meio de dois aspectos: autoimagem e autoestima. A primeira é como pensamos que somos, ou seja, a noção do nosso corpo, nossa personalidade e como desenvolvemos nossas relações. 

Já a segunda é a avaliação que fazemos sobre o que pensamos que somos, se estamos satisfeitas com o que fazemos no nosso dia a dia e ela afeta diretamente nossa autoimagem.

Compreensão da comunicação

Muitas vezes não entendemos as pessoas como elas realmente são. Uma porque não compreendemos exatamente a comunicação que ela expressa e outra porque formamos uma opinião julgadora a partir do que pensamos dela. Isso é uma falha na comunicação nos dois sentidos.

Fazemos presunções sobre os outros, acreditamos no que nossos olhos estão vendo e deixamos que a presunção conclua uma verdade através de um detalhe que nos pareça marcante. 

Nossa percepção pode estar baseada em “rótulos”, estereótipos baseados nas aparências. Quero frisar aqui a importância de ter realmente uma comunicação autêntica, ou seja, falar, escrever e demonstrar o que realmente faz sentido para você e para o seu negócio.

A colunista Estela Maura do Jornal Diário do Sul acredita que comunicação é tudo e tudo é comunicação, e eu concordo plenamente com ela. Mas, além de escrever e falar corretamente, é vital saber se comportar bem, ter expressões corporais apropriadas, dosar o tempo do discurso e saber, literalmente, com que público está falando. 

Na verdade, qualquer detalhe é comunicação! Pode ser um corte de cabelo, a cor de uma gravata, uma maquiagem, um olhar, um trejeito, um suspiro, um grito ou simplesmente um absoluto silêncio. Músicas, perfumes, iluminação, climatização de um ambiente, um bolo que sai do forno, uma brisa no rosto ou um agitar dos pés também significam muitas coisas. Por mais que não sintamos, nosso corpo comunica muito o tempo todo, inclusive enquanto dormimos. 

Por isso, um comportamento adequado e bons modos fazem toda diferença. Sorrir; ser gentil; cumprimentar as pessoas com educação; saber atender bem um telefonema ou digitar uma mensagem; receber bem um convidado; ser responsável e pontual; ceder um assento em um local público; ser tolerante e autêntico, entre tantas atitudes cotidianas, demonstram quem é quem, porque tudo é comunicação.